17.1.11

DESIGUALDADE SOCIAL.

Imagem: Divulgação
A existência de grandes contingentes abaixo da linha da pobreza no Brasil, não será resolvida apenas com o crescimento econômico do país. O pobre sempre foi visto com olhar de desconfiança, algo que tem mau cheiro e que atrapalha, seja no Piauí ou em qualquer parte do Brasil, o pobre está sempre em segundo plano, - antes como escravos moravam nas senzalas das fazendas e tinham alimentação, mesmo apanhando quando o desobedeciam, certamente por exagero na carga de serviço.

Hoje já não existe escravidão. “São os pobres abaixo da linha da pobreza, ou os excluídos”, que não têm oportunidade para o estudo, trabalho e passa fome, - obrigando-se na maioria dos casos a se drogar, prostituir roubar, matar e morrer.

O Brasil sempre foi um país rico, e tem melhorado em suas políticas sociais, mas ainda está muito longe do necessário. Estamos em constante crescimento. O PIB brasileiro coloca o país na posição de 8ª economia do mundo. É preciso que esta riqueza chegue aos mais pobres através de políticas públicas, - não bastam programas de combate à fome e miséria, é necessária a desconcentração de renda, preservar os direitos humanos, o meio ambiental, por fim, combater com todo rigor a CORRUPÇÃO, com certeza, responsável pela miséria que assola a pobreza brasileira. Só então, e mais alguns anos poderemos ter um país de igualdade social mais justo e humano.

Batista Santos


###
                                   publicidade

2 comentários:

  1. Temos que acreditar que tudo isso vai mudar! Bastas o indivíduo ter a consciência do peso de seu voto! Mais do que isso, maior participação no que diz respeito às políticas sociais! Parabens pelo Blog!

    ResponderEliminar