24.4.11

Adolescência

Sem políticas públicas, 33 mil adolescentes serão assassinados até 2013
  
      Isto é o que revela estudo da Secretaria de Direitos Humanos, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), do Observatório de Favelas e do Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Rio de Janeiro.
                                                           
O Índice de Homicídios na Adolescência estima o risco de adolescentes, com idade entre 12 e 18 anos, serem vítimas. A pesquisa avaliou 267 municípios com mais de 100 mil habitantes. Olinda, Recife e Jaboatão, em Pernambuco, estão entre as 20 cidades com maiores índices.
Atualmente, os homicídios representam 46% das causas de morte dos adolescentes. Para que a previsão não seja concretizada, de acordo com a pesquisa, é preciso investimentos em políticas públicas. http://www.andi.org.br/

       Embora se intua preocupação do governo em acabar com a desigualdade social, a meu ver principal responsável pela violência em nosso país. Fica uma nítida impressão, que a coisa pública é determinada de acordo com o que vai acontecendo, ou seja, “sem planejamento”. A constituição Federal de 1988 regulamentou a elaboração do Orçamento com os instrumentos: PPA, LDO, LOA. Sua importância reside principalmente na previsão dos atos de governo, trazendo visibilidade para esses atos em conjunto e evitando os casuísmos, os improvisos, as descontinuidades administrativas.
      Por fim, ainda tenho fé que no futuro não muito distante, os gestores cumprem realmente o que determina as leis, e só então viveremos em um país de mais igualdade social e de menos violência.

Sem comentários:

Enviar um comentário