25.6.12

‘A corrupção movimenta mais dinheiro que o tráfico de drogas’


Em entrevista ao Portal D24AM, o promotor Fábio Monteiro, que combate organizações criminosas no AM, diz que o desvio de verbas públicas hoje é o crime mais rentável do Estado.

 O promotor de Justiça Fábio Monteiro

Manaus - Há quase um ano investigando o crime organizado no interior do Estado, principalmente em casos de denúncias em torno da administração municipal, o chefe do Centro de Apoio e Combate ao Crime Organizado (CAO-Crimo), promotor de Justiça Carlos Fábio Braga Monteiro, disse, esta semana, em entrevista ao Portal D24AM, que a lavagem de dinheiro por desvio de verba pública, no Estado, é maior que o montante movimentado pelo tráfico de drogas.

Hoje, o CAO-Crimo tem mais ações voltadas para a administração pública ou para o tráfico? 

Do ponto de vista quantitativo temos mais investigações de corrupção pública do que do tráfico. Não que se esteja traficando pouco, ao contrário. É muito. Mas concentramos poucos procedimentos na investigação do tráfico no Amazonas porque, geralmente, compram de um mesmo fornecedor. Enquanto que, para cada município, eu preciso instaurar um procedimento.

 Por que o CAO-Crimo passou a investigar a administração pública? 

Porque uma organização criminosa tem seus tentáculos em todos os setores, inclusive na administração pública. Quando um traficante movimenta R$ 1 milhão, ele é considerado um grande traficante no Brasil, e quando um administrador fraudava um contrato licitatório ele não tinha uma investigação aprofundada. O traficante causa um mal, sem sombra de dúvida. Mas um administrador corrupto causa um mal tão grande quanto o traficante. Quando há desvio de verba pública, serviços essenciais deixam de ser prestados.

O desvio de verba movimenta mais dinheiro que o tráfico? 

O movimento financeiro, eu diria hoje, pelo que temos visto, que a corrupção como um todo no Estado do Amazonas, tem movimentado mais dinheiro que tráfico interno de drogas. É absurdo, mas é verdade.

Quais os programas federais que durante as investigações apresentaram indícios de desvio de verba? 

Principalmente recursos da Saúde, porque o valor do recurso é significativo. Vou dar o exemplo de Boa Vista do Ramos. A prefeitura recebia determinado percentual para pagar o salário de médicos e enfermeiros contratados. A verba estava entrando, porque tinha um médico cadastrado, mas esse médico saiu e só soube que esse valor continuava sendo repassado quando foi fazer um concurso público e constou o registro dele cadastrado no município. Ou seja, a prefeitura continuava recebendo, mas para onde estava indo esse recurso se o médico não estava lá?

O senhor já foi ameaçado?

Não. Mas eu não ajo em meu nome. É o Ministério Público que está investigando. Talvez por isso, não houve ameaça a mim. Mas se houver, não vai fazer com que deixemos de exercer o nosso trabalho.

Portal D24AM

2 comentários:

  1. Ótimo texto..Uma pena que nada se constroi com tantos roubos..Quisera que os próprios politicos não estivessem tambem no jogo das drogas e dos piores crimes que não são processados ao povo..Nada descarta daqui para frente guerras estáveis porque a guerra existe mais ainda debaixo dos panos..

    Veja só a Canabis ela sim poderia ser liberada pelo fato dos grandes beneficios que traz ao humano e suas conquistas terrenas.. O povo já se firma nesta marcha pois maconha não é uma droga pois já há muito século já se usava para beneficio de muitos males..

    O sistema não deixa a erva chegar ao mercado pelo fato dos laboratórios não serem prejudicados e cair este sistema mentiroso e corrupto.

    A conscientização da mesma já chega para aqueles que são inteligentes e capaz de obter a verdade de salvar as vidas.

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é... Nota-se que a corrupção na administração pública começa bem antes das campanhas eleitorais, quando candidatos são assediados e financiados por agiotas, - como podem sobrar recursos para os projetos de cunho social, se estes que financiam os maus políticos, também controlam o orçamento público!

      Um abraço.

      Eliminar