16.8.12

Teresina 160 anos.


Minha Teresina, de ti, já mais a esquecerei... Parabéns por seus 160 anos!
Abraço fraterno.



Teresina

Você me deixa tonto, zonzo
Quase como louco de encantamento
Eu desanoiteço no seu todo de mulher
No verde dos seus olhos de menina
Seu olhar de querubina faz o sol me esquentar
E quando é noite a lua nina Teresina
Que desatina até o sol raiar

De manhã, eu olho pra Timon
E sinto o gosto bom do parnaíba desaguar
Então eu choro transbordantemente
Que alegre enchente no meu coração
São dois rios lindos com as águas claras
Desse parnaíba que não volta mais
Apenas olho minha Teresina
Como quem delira na beira do cais.

Ai, troca, quem troca destroca
Minha Teresina não troco jamais
No troca-troca, quem troca destroca
Minha Teresina não troco jamais.

Teresina: Aurélio Melo / José Rodrigues.
Canta; Frank Aguiar

José Antônio Saraiva idealizador de Teresina, foi um dos homens mais proeminentes do Segundo Império, tendo sido Ministro de Estado, Deputado, Senador e Presidente de várias Provínicias, além de amigo pessoal do Imperador Pedro II. Assumiu a presidência da Província do Piauí em meados do século XIX e foi o grande artífice da construção de Teresina, com apenas 27 anos de idade. Homem culto e de visão, percebeu que a localização da primeira Capital, Oeiras, longínqua e de difícil acesso, e a ameaça da ascensão econômica da cidade de Caxias, no leste da Província do Maranhão, eram ameaças ao desenvolvimento do Piauí. 
José Antônio Saraiva
 
Urgia instalar a Capital em local mais estratégico, a meio-caminho entre o litoral e o sertão, a despeito da forte resistência dos Oeirenses. Em discurso histórico na Assembléia Provincial, afirmou que a mudança daria ao Piauí “uma Capital mais rica, mais cômoda, mais civilizada e mais conveniente à direção dos negócios públicos”. Teresina deu o nome de Saraiva à segunda maior praça da cidade, onde se localiza sua estátua, vista nestas fotos, construída no centenário da cidade, em 1952.

Teresina foi a primeira Capital planejada do país, fundada em 16 de agosto de 1852. 

Já nasceu moderna, antecedendo Capitais planejadas de outros Estados (como Aracaju, Belo Horizonte, Goiânia e Palmas) e a própria Capital Nacional, Brasília. O sítio escolhido por Saraiva para construir Teresina era uma antiga fazenda de gado, em um local conhecido como Chapada do Corisco, devido à grande incidência de descargas atmosféricas observada nos meses chuvosos – que ainda hoje ocorre, uma das maiores do mundo. Seu traçado urbano original, com ruas que se cruzavam em ângulo reto, foi projetado pelo Mestre-de-Obras português João Isidoro França e pelo próprio Saraiva. Este traçado tinha em 1860 cerca de um quilômetro de extensão no sentido norte-sul, estendendo-se da Praça do Quartel do Batalhão (atual Estádio Municipal Lindolfo Monteiro) até a Rua do Barrocão (atual Avenida José dos Santos e Silva), enquanto que no sentido leste-oeste as casas iniciavam-se na margem do Rio Parnaíba e terminavam pouco além das atuais Praças Saraiva e Marechal Deodoro, as únicas existentes naquela época. A Rua Pacatuba, citada no poema “A rua”, de Torquato Neto, é a atual Rua São João, que termina às margens do Parnaíba e na qual o poeta cresceu.

Sem comentários:

Enviar um comentário