7.3.13

Congresso derruba veto de Dilma aos royalties: 350 a favor e 45 contra

A apuração dos votos sobre a votação do veto da presidente à Lei dos Royalties foi concluída às 4 horas da manhã.

A apuração dos votos sobre a votação do veto da presidente Dilma Rousseff à Lei dos Royalties foi concluída às 4 horas da manhã de hoje (07) e o veto foi derrubado. 

O deputado Júlio César (PSD-PI), que participou da comissão apuradora, afirmou há pouco que a maioria dos parlamentares votou pela derrubada dos vetos presidenciais à Lei dos Royalties, em sessão do Congresso ontem à noite



Júlio César foi um dos parlamentares que acompanhou a contagem dos votos. Segundo ele, o resultado aproximado foi: 54 senadores a favor da derrubada dos vetos e 7 pela manutenção, e 350 deputados favoráveis à derrubada contra 45 pela manutenção. 


A votação dos 142 vetos foi concluída ontem à noite, sob fortes protestos das bancadas do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. A divulgação oficial do resultado deve ser feita pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros, a partir das 14 horas, durante sessão no Plenário do Senado.


O deputado Marcelo Castro (PMDB) ressaltou que para derrubar o veto seriam necessários apenas 257 votos. "Temos pelo menos 100 votos a mais do que precisávamos. Nossa vitória já está garantida", disse o parlamentar, em entrevista ao Cidadeverde.com.

Castro destacou que o clima durante a votação foi tenso e que houve muita agressividade por parte da bancada do Espírito Santo e Rio de Janeiro. "Houve muito desrespeito, mas o presidente Renan Calheiros soube conduzir bem as coisas e tudo saiu no tempo certo, da forma correta", contou.

Para o parlamentar, a derrubada do veto de Dilma foi o momento mais importante de sua carreira política. "Com toda a honestidade, se eu deixasse de ser deputado amanhã, já teria a sensação de que o mandato não foi em vão. Já tenho muitas histórias para contar aos netos, foi a coisa mais importante que fiz no Congresso. Desde o começo fiz questão de ser o autor principal dessa luta", declarou Marcelo Castro.

O deputado considerou que o momento gera uma sensação "indescritível" e que relatou que foi chamado de "herói" após seu discurso. "Foi o momento pelo qual eu sempre esperei, foi maravilhoso, emocionante, indescritível. Depois que discursei, todos me abraçaram, me beijaram e os mais exaltados me chamaram até de herói", disse, emocionado.

Marcelo Castro explicou que a decisão será publicada em Diário Oficial e já em abril todos os município irão participar da redistribuição dos royalties do Pré-Sal brasileiro.

(cidadeverde.com)


Sem comentários:

Enviar um comentário