13.5.13

SP: servidora diz que juiz investigado recebeu 'mala de R$ 1 milhão'

Uma servidora da Secretaria da Fazenda de São Paulo afirmou, em depoimento, que o juiz Élcio Fiori Henriques, do Tribunal de Impostos e Taxas (TIT), recebeu uma mala com R$ 1 milhão. Fiori é investigado pela Operação Lava-Rápido da Polícia Federal por acúmulo de R$ 30 milhões em 30 meses. Em seu depoimento, feito em novembro de 2012, Silvânia Felippe declarou que outro magistrado do TIT foi afastado por um juiz presidente de Câmara "porque ele deu mala com R$ 1 milhão para o juiz fiscal Fiori". Ela disse ainda que diversos processo com valores altos são direcionados para Fiori. "O juiz presidente, ao julgar processos, dá provimento com a parceria de mais um juiz, e outros dois negam provimento. Entretanto, como o juiz presidente pode dar o voto de desempate, tudo já está acertado com empresários", disse a servidora. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O juiz não se manifestou sobre a denúncia de que teria recebido a tal mala, nem sobre as ameaças que teria feito a pessoas com as quais entrou em atrito. Na quinta-feira, quando procurado pela publicação para explicar o patrimônio de R$ 30 milhões, o juiz alegou que "todos os valores empregados nas compras de imóveis possuem origem lícita, oriundos dos investimentos bem-sucedidos com capital próprio e de terceiros investidores". A Secretaria da Fazenda informou que Fiori detém "um currículo brilhante, com mestrado e doutorado", e que ele "é fora de padrão, inteligente". Segundo a pasta, "não havia como rejeitar o currículo de Fiori, tecnicamente muito consistente".
Terra



Sem comentários:

Enviar um comentário