18.7.13

Eu também era contra a pena de morte

Francisco Vieira
Eu era contra a pena de morte.  Era… Até o dia em que, no Instituto Médico Legal de Brasília pude ver, sobre uma bandeja metálica, o que um ESTUPRADOR foi capaz de fazer com uma mulher usando UMA TRANCA DE VOLANTE, daquelas feita de vergalhão de aço e que prende o volante ao pedal do acelerador! Estuprar só não foi suficiente para ele!
Embora tenha passado vários anos, nunca pude esquecer a cena.
E duvido que nossos magistrados, mesmo com todos os erros da nossa Justiça, executem tantos inocentes quanto os bandidos estão executando atualmente! Das 50 mil execuções anuais, quantas são de inocentes? Quantas eram crianças e jovens com toda uma vida pela frente?
No Youtube tem a filmagem de um assalto em uma loja de conveniência, nos Estados Unidos, onde o assaltante empunha uma arma de fogo. Acontece que A VÍTIMA REAGE e se atraca com o bandido. Entretanto, este consegue se desvencilhar e, ao contrário do que faria na REPÚBLICA DA IMPUNIDADE, sai correndo com a arma na mão, pois sabe que o país onde ele mora é sério e que se ele matasse o comerciante pegaria a pena de morte ou a prisão perpétua… Sem direito a fazer sexo na cadeia.
Veja, ainda, parte de uma reportagem do Correio Brasiliense do ano passado:
“REINCIDENTES RESPONDEM POR 81% DOS HOMICÍDIOS REGISTRADOS NO DF
Entre 24 e 30/09/12, o número de homicídios se manteve estável em relação à média das últimas semanas – 16 assassinatos. De acordo com balanço da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) , em 88% das mortes, os suspeitos usaram armas de fogo e em 81% das ocorrências, as vítimas tinham antecedentes criminais.”
PS – Acho que foi Confúcio quem disse que “sob a forma humana, se escondem muitos animais!”
Tribuna da Imprensa

Sem comentários:

Enviar um comentário