5.8.13

Prefeito tentou reajustar o próprio salário antes de renunciar ao cargo

Márcio Faber enviou um projeto à Câmara de Paranapanema. 
Ex-prefeito alegou que o salário era baixo demais

Imagem:Reprodução
Ex-prefeito Márcio Faber
Antes de renunciar ao cargo de prefeito de Paranapanema (SP) por considerar a remuneração baixa demais, o ex-prefeito Márcio Faber chegou a enviar à Câmara dos Vereadores um projeto que aumentaria o próprio salário, como mostra a reportagem do Bom Dia Brasil.
Mas o projeto foi barrado pela Câmara. "Ele não deu o reajuste previsto a todos os funcionários públicos, por isso, a Câmara achou por bem não acatar o texto", afirma o presidente da Câmara, Leonardo de Araújo.
Esta foi a primeira vez na história da cidade que um prefeito renunciou alegando baixo salário. A saída repentina do cargo deixou os moradores preocupados. "A gente não saber o que vai ser de nós agora sem o prefeito. Estamos muito preocupados", afirma a dona de casa Silvana de Araújo Dantas.
A renúncia teve uma repercussão tão negativa que o ex-prefeito não foi visto mais na cidade desde que largou o cargo. A assessoria de imprensa da Prefeitura confirmou que ele não mora mais em Paranapanema.
Em entrevista ao G1, Faber, que é médico ginecologista, afirmou que sua decisão foi baseada exclusivamente em argumentos financeiros, já que, antes de assumir a prefeitura, tinha uma renda de aproximadamente R$ 30 mil. Com o cargo de prefeito, o salário dele era de R$ 5,8 mil. “Não tive problemas com ninguém, mas financeiramente ficou inviável continuar. Preferi pedir para sair do que roubar dinheiro dos cofres públicos”, explica.
A decisão do médico foi informada na quarta-feira (31), por meio de um ofício enviado à Câmara Municipal.
O vice-prefeito, Antônio Nakayashi, já assumiu o cargo de executivo.
Márcio Faber foi eleito em outubro de 2012, com 5.873  votos. Ele fazia parte da coligação 'Inovação é agora', que reunia os partidos PT e PV. Esta foi a primeira vez que Faber concorreu a um cargo público.
Do G1 Itapetininga e Região

Sem comentários:

Enviar um comentário