11.9.13

Enade comprova qualidade de cursos da Uespi

Dos 57 cursos da Uespi avaliados, três obtiveram nota 5, considerada excelente, 19 cursos conquistaram nota 4 e alcançaram 3.

Uespi (Foto:Francisco Gilásio)
De acordo com o resultado da última avaliação do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), realizada em 2012, 80% dos cursos da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) obtiveram conceito igual e superior a três, o que significa que os conhecimentos vão de satisfatórios a excelentes.
A prova do Enade é aplicada aos alunos que estão ingressando ou concluindo o Ensino Superior e visa avaliar o rendimento dos alunos de cursos de graduação e pós-graduação de cada instituição. De acordo com o pró-reitor de Ensino e Graduação (Preg) da Uespi, Francisco Soares, os resultados das provas demonstram a melhoria do ensino na instituição. “É a prova de que a Uespi está organizada, no sentido de integrar administração superior e incentivar os alunos a realizarem a prova”, afirma.
A avaliação do Enade é feita em ciclos que contemplam as modalidades de licenciatura e bacharelado por vez, a cada três anos cada uma. Dos 57 cursos da Uespi avaliados em 2011, três cursos obtiveram nota 5, considerada excelente, 19 cursos conquistaram nota 4 e 23 cursos conseguiram nota 3.
Em Teresina, os cursos de Geografia dos Campi Torquato Neto e Clóvis Moura obtiveram nota 5. O atual coordenador do curso de Geografia do Torquato Neto, Jorge Eduardo de Abreu Paula, destaca a dedicação dos estudantes para a conquista do resultado. “Foi um resultado positivo e reflete no aprendizado e na qualidade do ensino da instituição”, pontua.
No Campus Clóvis Moura, localizado no bairro Dirceu,  os resultados não foram diferentes. ”A obtenção de nota 5 no Enade foi fruto de uma equipe de professores compromissados, que ajudam a motivar os alunos”, afirma o coordenador Werton Francisco Rios da Costa. De acordo com o docente, o resultado positivo foi fruto da motivação e também do esforço dos alunos, sendo alguns aprovados em Mestrado na Universidade Federal do Piauí (UFPI).
Nota máxima também no interior
Os campi do interior do Estado também se destacaram no exame. Os cursos de Pedagogia, em Altos, e de História, em Parnaíba, obtiveram nota 5, a maior na avaliação do Enade. O coordenador de História, em Parnaíba, Edson Holanda Lima Barboza, analisa os resultados como um grande incentivo aos novos alunos do curso. “Apesar dos desafios, o resultado obtido demonstrou o esforço de alunos e professores para a melhoria da qualidade de ensino, o que eleva o nível da instituição, além de ser um incentivo às próximas turmas”, conclui.
Para a pró-reitora adjunta da Preg, Elizabeth Mary Carvalho, o resultado é uma combinação de fatores. “O resultado no Enade é um esforço conjunto entre professores e alunos em busca da qualidade no ensino da Uespi. E nisto também, o incentivo para a leitura, a pesquisa e a extensão,” ressalta.
Atualmente, a Uespi possui 212 professores especialistas, 425 mestres, 173 doutores e 4 pós-doutores. A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação (Prop) informou ainda que 59 docentes estão em processo de doutoramento e 4 concluindo mestrado, o que irá ampliar o número de profissionais qualificados em sala de aula.
Além disso, o Índice Geral de Cursos (IGC), que mede a qualidade de ensino nas instituições de Ensino Superior, divulgou, recentemente, os resultados em que a Uespi também demonstrou crescimento em relação a avaliações anteriores. Segundo Francisco Soares, a instituição avançou em 32% como o aumento do conceito de 1,9 para 2,5.
“Isso se deve ao conjunto de ações voltadas à melhoria da Universidade, à qualificação dos profissionais docentes e a contratação de novos professores, um investimento do Estado que recebe agora os primeiros retornos”, conclui o pró-reitor.
9 milhões aplicados na assistência estudantil
A Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários da Uespi (Prex), e os alunos da instituição têm o que comemorar nos últimos anos. Centenas de projetos de extensão estão sendo executados em diversos campi proporcionando assistência e auxílio ao estudante durante o período que estão estudando na universidade.
De 2009 a 2013, a Prex teve um aumento nos recursos aplicados aos projetos da pasta. Segundo o pró-reitor da Prex, Marcelo de Sousa Neto, em 2009, era cerca de 1 milhão de reais, já em 2013 são 9,5 milhões de reais. Somente na aplicação de recursos voltados para programas sociais e culturais, hoje, chega na ordem de meio milhão, dentre os programas atendidos estão: Auxílio Moradia, Bolsa Trabalho, Estágios, Apoio Pedagógico, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à  Docência (Pibid) e Programa Institucional de Bolsas em Extensão Universitária (Pibeu)
“Hoje temos mais de mil estudantes atendidos por bolsa. Esses alunos contemplados são os mais carentes e de vulnerabilidade social, uma vez que não temos como atender a todos. Manter o estudante no decorrer do seu curso é nosso objetivo. Outro dado importante é o de possuirmos cerca de 5.000 ações extensionistas durante o ano. A interiorização de eventos foi um avanço, porque a partir do momento que um núcleo ou campus recebe um projeto de extensão, não beneficia só um curso e toda comunidade abraça o evento ou projeto”, destacou Marcelo Neto.
Investimentos em novas salas
O pró-reitor de Planejamento e Finanças da Uespi (Prop), Raimundo da Paz Sobrinho, destaca a evolução física e orçamentária da instituição desde que sua gestão assumiu.“Quando assumimos, em janeiro de 2010, nós tivemos a preocupação de elaborar um plano de metas até 2013 e, evidentemente, no sentido de atender ao recadastramento da instituição junto ao Conselho Orçamentário do Estado. Também fizemos o Governo do Estado entender que tínhamos que executar esse Plano de Metas. Avançamos de forma considerável”, explica.
Um dos pontos a serem destacados, em termos de estrutura da universidade, é o melhoramento físico de prédios muito antigos, como o Centro Social Urbano no Campus Clóvis Moura. “O Governo do Estado está construindo novas salas de aulas lá, como está construindo, também, em São Raimundo”, finaliza Raimundo da Paz Sobrinho.
Hoje, 90% das salas de aula são climatizadas com aparelhos modernos. Além disso, foram adquiridos equipamentos que oferecem oportunidade para que os professores diversifiquem as metodologias de ensino e as redes elétricas dos campis foram otimizadas.
2 milhões para infraestrutura
Segundo o reitor da Uespi Carlos Alberto a universidade espera a liberação de R$ 2.000.000 reais do Tesouro Estadual para a melhoria estrutural de todos os campi da Instituição. “O governador Wilson Martins nos prometeu que essa verba será liberada até o mês de novembro, assim, poderemos melhorar todos os nossos núcleos com novos laboratórios, salas de aula, computadores”, destaca o reitor. Ainda segundo o mesmo, a Secretaria da Educação e Cultura (Seduc), já deu o aval para a aquisição de seis ônibus para a instituição.
Pesquisa em expansão
De acordo com  pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Geraldo Eduardo, o número de pesquisas feitas na instituição cresceu significativamente nos últimos cinco anos por conta da contratação de doutores e mestres, bem como da forte política de qualificação destes docentes e mestres. São projetos de pesquisa financiados por órgãos de fora com o Governo do Estado, e um exemplo é o Núcleo Interinstitucional de Estudo e Geração de Novas Tecnologias (Projeto Geratec), que funciona nas dependências da própria universidade. O Geratec desenvolve, desde 2010, pesquisas nas áreas de Biologia e Química voltadas ao aprimoramento do coco babaçu.
Os investimentos utilizados para a construção do prédio e laboratórios, bem como a compra de novos equipamentos somam um total de R$ 6.113.931, 40. Os recursos são oriundos de convênios firmados com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), o Governo do Estado e a Finep. O Projeto conta com pesquisadores da Uespi, do Instituto Federal do Piauí (IFPI) e da Universidade Federal do Piauí-UFPI.
Geraldo destaca ainda que, além do projeto Geratec, foram aprovados editais de projetos como o de Parceria Público-Privadas (PPP), Programa Pesquisa para o Sistema Único de Saúde (PPSUS) e projeto universal do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico- CNPq.
“Estamos no caminho certo, melhoramos e temos que melhorar muito mais. Os professores estão se articulando para o desenvolvimento de projetos. Hoje, eu vejo um movimento que não via antes. Nós temos, atualmente, na instituição cerca de 180 doutores, 83 afastados para o doutorado e outros no mestrado. Esse aumento na produção científica na universidade vai fazer com que se aumente a oferta no número de cursos de pós-graduação stricto sensu (programas de mestrado e doutorado). As áreas do conhecimento e da pesquisa como química, biologia, ciências agrária, ciências da saúde, letras, computação, engenharia elétrica, são destaques para a aprovação de projetos de pesquisa financiados e ou programas de pós-graduação’’, finaliza.

Fonte: Portal do Governo do Estado do Piauí

Sem comentários:

Enviar um comentário