19.10.13

Piauí 191 anos, Parabéns!




Colonização e independência do Piauí (RESUMO - Com inform. Gov. do Estado do Piauí).

Antes do descobrimento do Brasil, sinais já indicavam que povos civilizados aviam habitados no Piauí. Conforme o professor austríaco, Ludwig Schwennhagen, a Pedra do Sal em Parnaíba, teria sido a estação marítima dos antigos navegante, as Sete Cidades, em Piracuruca, o centro de suas reuniões.

O Piauí era também habitado por indígenas. Dentre os grupos na época do seu descobrimento: os tupis, os tapuias e caraíbas.

Porem, durante muito tempo o Piauí ficou no esquecimento, até que o bandeirante paulista, Domingos Jorge Velho, desbravou o território, cultivou a terra, construiu currais, criou
gado -, e, deu a denominação de Parnaíba o rio que antes era conhecido como rio Grande dos Tapuias, Pará ou Punaré.

Depois de Jorge Velho, chegou Domingos Afonso Mafrense, o colonizador do estado. Às margem do riacho Mocha, instalou a fazenda de Cabrobó, na qual residiu por algum tempo. Logo depois, formou-se um povoado próximo a essa fazenda, com o mesmo nome, e mais tarde, chamado Nossa Senhora da Vitória do Brejo da Mocha do Sertão do Piauí.

Com o desenvolvimento da lavoura e da criação de gado, o povoado desenvolveu-se e foi elevado à categoria de vila, com o nome de Mocha. Mais tarde passou à condição de cidade com o nome de Oeiras. Depois foram criadas as vilas: Parnaguá, Jerumenha, Campo Maior, São João da Parnaíba (atual cidade de Parnaíba), Marvão (atual Castelo do Piauí) e Valença.

Na segunda metade do século XVII, foi o gado que abriu caminho para a povoação no Piauí, transformado vilas em cidades - a partir das fazendas de criação de gado -, a carne como alimentação, e o couro no vestuário, permitiu a sobrevivência dos desbravadores pioneiros.

Parnaíba foi a primeira vila piauiense a tomar parte nos movimentos pela independência.  A 19 de outubro de 1822 foi proclamada em Parnaíba por Simplício Dias da Silva, João Cândido de Deus e Silva, Domingos Dias, entre outros, a independência do Piauí e D. Pedro I aclamado imperador constitucional. Entretanto, o Piauí ficou sob o domínio português até 24 de janeiro de 1823, quando o Brigadeiro Manoel de Sousa Martins declarou o estado independente em Oeiras.

Voluntários, armada com instrumento
 de trabalho - riacho Jenipapo.
 Campo Maior.

Em 13 de março de 1823, travou-se, à margem do rio Jenipapo, em Campo Maior, a mais sangrenta, e possivelmente única, batalha entre brasileiros e portugueses pela independência nacional, a Batalha do Jenipapo, onde centenas de piauiense e voluntários cearenses perderam a vida ou foram capturados, escrevendo com o seu sangue uma das páginas mais gloriosas da história nacional.

Independente o Piauí, a vila da Mocha foi escolhida para a capital, com o título de cidade e o nome de Oeiras. Como cidade, floresceu rapidamente, tornando-se o centro mais importante do novo estado. Entretanto, desde os tempos coloniais, pensava-se em mudar a capital do Piauí de Oeiras para as margens do rio Parnaíba, por ser aquela cidade de difícil comunicação, criando dificuldades ao governo e o comércio. Apesar de justos os motivos, a mudança só se fez muito tempo depois, no ano de 1851, graças ao Conselheiro José Antônio Saraiva. Foi escolhida a Chapada do Corisco para a criação da Nova Vila do Poti, as margens do rio Parnaíba. Pouco depois surgiram as primeiras casas e a Igreja de Nossa Senhora do Amparo.

No ano seguinte a Nova Vila do Poti foi elevada à categoria de cidade, com o nome de Teresina, em homenagem a D. Teresa Cristina, imperatriz do Brasil. 
A instalação definitiva da capital em Teresina foi realizada no dia 16 de agosto de 1852.

Publicidade

Sem comentários:

Enviar um comentário