27.10.13

Trinta e um prédios podem desabar no Centro Histórico de São Luís

Levantamento de situação de abandono foi feito pela Defesa Civil.
Além do risco de desabamento, muitos servem de abrigo para marginais.



A situação de abandono de alguns casarões no Centro Histórico de São Luís preocupa a Defesa Civil. O risco de desabamentos e incêndios é iminente, como o ocorrido nesta sexta-feira (25), em um imóvel na Rua Rio Branco, quando a parte da frente do prédio foi atingida.

Um mapeamento recente feito pela Defesa Civil do município constatou 31 prédio com risco de desabamento, só na área do Centro tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional. "Essa ocupação nós podemos dizer que é a ocupação mista. Encaminhamos esse relatório aos órgãos competentes, como Iphan, Corpo de Bombeiros, Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico", disse da Defesa Civil.

Basta fazer um passeio pelo local para perceber que a situação, de fato, preocupa. Bem ao lado do prédio que pegou fogo na sexta, há outros dois imóveis fechados e abandonados. O mato que cresce nas fachadas já invadiu a fiação elétrica.
Na área do centro de São Luís, tombada pelo Patrimônio Histórico, o problema se repete. Casarões abandonados correm o risco de desabamento. Na esquina da Rua da Palma raizes de árvores provocam rachaduras nas paredes. O prédio era usado como estacionamento de carros até um ano atrás, agora foi completamente lacrado por causa do risco de desabamento.
No Beco da Pacotilha, o prédio também de esquina teve toda a fachada coberta pelo mato. O telhado inteiro já desabou. Alguns casarões já anunciam reformas, que fazem parte do PAC das Cidades Históricas.

Além do risco de desabamento os prédio abandonados servem de abrigo para usuários de drogas e também assaltantes que agem no cento.
Publicidade

Sem comentários:

Enviar um comentário