2.10.13

Violência Urbana

Imagem: Reprodução - Portaltimonfm
BASTA DE INSEGURANÇA! Com esses dizeres timonenses e entidades de classe, saíram (neste primeiro de outubro) em passeata pelas principais Ruas e Avenidas da cidade cobrando dos poderes constituídos providencia eficazes contra a VIOLÊNCIA URBANA que acende de maneira assustadora também em nossa cidade, nos extraindo na maioria das vezes, até mesmo o direito constitucional, o direito de ir e vir.
Não temos segurança, essa é a realidade, e se quiserem comprovar, procure registrar um BO, nas Delegacias de Policia. E isto, me remete a segurança - época da República - pouco mudou. - Criada como forma de garantir a soberania, preservar o modelo de independência conquistada, e também, como instrumento de preservar os poderes oligárquicos existentes.
Sob essa ótica, a administração da segurança pública visava somente criar regimes policiais e mantê-los compromissados com os interesses dominantes, sendo que deles só era esperado uma ação: coibir qualquer forma de expressão que fosse contraria à instaurada no poder. Esse modelo de segurança publica, pouco mudou com a constituição de 88, permanecendo ainda, um forte ranço cultural da origem e condução da segurança brasileira.
O que se espera da segurança pública, é que esteja inserida no cotexto atual da cidadania. Trabalhando com conceitos de participação, envolvendo os vários atores da comunidade. Que haja de forma a prevenir a violência, identificando e combatendo suas causa em busca de uma melhor qualidade de vida da população.
Nesta fase de formulação da agenda pela sociedade timonense. Espera-se que encontrem alternativas para o conflito, implementando e avaliando, para a então a execução do projeto que resolva a VIOLÊNCIA URBANA, que tantos males causam a sociedade brasileira, e em especial Timon, onde vivemos.

Sem comentários:

Enviar um comentário