31.3.14

REINALDO FAZ A DEFESA DO GOLPE MILITAR DE 64

Colunista diz que horizonte da extrema-esquerda contra a ditadura não era a democracia: “Ao contrário: a convicção dos grupos armados era a de que os fundamentos da democracia eram apenas um engodo para impedir a libertação do povo. Os extremistas de esquerda também queriam uma ditadura — no caso, comunista”.


247 – No dia em que a ditadura completa 50 anos, com um rastro de torturas e de desaparecidos, o colunista Reinaldo Azevedo sai em defesa do golpe que derrubou João Goulart.
Segundo ele, é certo que queriam derrotar o regime militar inaugurado em 1964; mas que fique claro: o seu horizonte não era a democracia. “Ao contrário. Como costumo lembrar, não há um só texto produzido pelas esquerdas então que defendessem esse regime. Ao contrário: a convicção dos grupos armados era a de que os fundamentos da democracia eram apenas um engodo para impedir a libertação do povo. Os extremistas de esquerda também queriam uma ditadura — no caso, comunista”.
“Os extremistas, no entanto, venceram a guerra de propaganda, desta feita sem precisar dar um tiro: seus epígonos, isto é, seus seguidores intelectuais, ocuparam a imprensa, o meio universitário, os centros culturais, as escolas, fatias importantes do Executivo, do Legislativo e do Judiciário para inventar o confronto que nunca existiu” (leia aqui).
BRASIL 247

Sem comentários:

Enviar um comentário