23.12.14

Herança Maldita: entre fome e educação, prioridade do fim do governo Roseana foram festas

Por Letycia Oliveira

Na última quinta – feira a Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílios (Pnad) 2013 revelou dados sobre segurança alimentar, feita em 65,3 milhões de domicílios do país, o Maranhão apresentou o menor índice de segurança alimentar.
Isto significa que o acesso regular a alimentos de qualidade no estado é muito baixo, em outras palavras, o Maranhão é o estado em que a população passa mais fome no Brasil. Entretanto, para a ex-governadora (por longos 16 anos) o estado está no caminho do crescimento e diz sair do governo com a certeza do dever cumprido. O que será que o governo estava fazendo neste período que deixou despercebido algo de suma importância para o povo maranhense?
O momento politico que o estado atravessa é muito delicado, o governo deixou o Maranhão com os piores índices de desenvolvimento social do Brasil. No último ano, foi um escândalo atrás do outro. A crise na penitenciaria de Pedrinhas chocou o país com tamanha violência, o doleiro foi preso em um hotel em São Luís suspeito de corrupção, o envolvimento do governo no escândalo da Petrobras…
Esses são só alguns exemplos do descaso que o Maranhão atravessa, e a cada dia essas contradições se chocam com estatísticas de miséria, falta de desenvolvimento social e econômico, sem falar na crise de segurança pública!
No entanto, ao invés de se preocupar com esta situação, a governadora ,que não teve coragem nem de finalizar o seu mandato, entregando o governo ao deputado Arnaldo Melo, ainda fez festa de despedida com o dinheiro do contribuinte para comemorar sua saída pelas portas dos fundos, como disse a Revista IstoÉ desta semana.
Faltou dinheiro para educação, combate à fome e à violência. Mas couberam no “apertado” orçamento estadual verbas para festas, lagostas e champagnes.

Sem comentários:

Enviar um comentário